You are currently viewing Artrofibrose do joelho

Artrofibrose do joelho

Artrofibrose é um problema no joelho causado pela formação excessiva de cicatrizes fibrosas dentro da articulação, que limitam a sua movimentação. Artrofibrose é uma causa de rigidez articular após cirurgia.

Como é a movimentação normal do joelho?

A medida da capacidade de movimentação de uma articulação é chamada de amplitude de movimento (ADM) ou arco de movimento.

O movimento normal do joelho é dividido em extensão (capacidade de esticar) e flexão (capacidade de dobrar).
● A extensão normal é até 0°, ou seja, o joelho totalmente esticado, ficando reto. Algumas pessoas podem ter hiperextensão do joelho, ou seja, o joelho dobra alguns graus para trás.
● A flexão máxima do joelho é variável, podendo ir de 120 graus até mais de 140 graus. Em joelhos normais, a flexão máxima é limitada pelo volume da parte de trás da coxa e da panturrilha.

Qual a mobilidade do joelho necessária para as atividades normais?

O arco de movimento necessário para realizar atividades normais sem dificuldade é chamado de amplitude de movimento funcional.
Para o joelho, a amplitude de movimento funcional é de 0 a 110 graus.
O arco de movimento necessário para atividades do dia a dia são:

● Caminhar: 0-65°.
● Subir escadas: 0-85°.
● Descer escadas: 0-90°.
● Sentar: 0-90°.
● Levantar-se da posição sentada: 0-95°.
● Amarrar o sapato: 0-105°.
● Pegar um objeto do chão: 0-75°.
● Andar de bicicleta: 0-115°.
● Agachamento: 0-115° (mínimo).
● Sentar de pernas cruzadas: 0-115°.

Quais as causas de perda de movimento do joelho?

Entre as causas de rigidez do joelho estão:

● Artrofibrose.
● Artrose ou osteoartrite.
      ○ Osteófitos.
● Bloqueio articular:
      ○ Corpo livre.
      ○ Lesão meniscal.
      ○ Fratura com fragmento fora do lugar.
      ○ Tumores intra-articulares como sinovite vilonodular pigmentada.
      ○ Lesão ciclope.
● Inflamação.
      ○ Derrame articular ou inchaço.
      ○ Infecção.
● Contratura, encurtamento ou aderência de músculos e tendões.
● Ossificação heterotópica.
● Síndrome da dor complexa regional.
● Erros técnicos em cirurgia de reconstrução de ligamentos, como ligamento cruzado anterior.

É importante diferenciar essas causas da dificuldade de movimentação por falta de força. Nessa situação, o joelho é flexível, mas o indivíduo tem dificuldade de movimentá-lo ativamente. Isso pode ocorrer em lesões de tendão, músculos e neurológicas, ou relacionada a dor.

Quais os sintomas da rigidez do joelho?

A artrofibrose pode causar tanto perda de extensão como de flexão.
A perda de flexão causa limitação dependendo da sua intensidade e das atividades do paciente. Perda de 10 graus pode afetar velocidade na corrida. Flexão menor que 90 graus é extremamente limitante até para atividades sedentárias, como sentar-se e levantar-se. (Veja a mobilidade necessária para atividades normais, acima).
A perda de extensão é chamada de flexo do joelho, ou contratura em flexão. A tolerância para flexo é menor que para a perda da flexão, e pequenas perdas, de 5° a 10°, já podem fazer o indivíduo mancar ou sobrecarregar o joelho, causando dor.

Como é o diagnóstico da rigidez do joelho?

O diagnóstico é através do exame físico, com a medida do arco de movimento do joelho. A movimentação ativa e passiva deve ser diferenciada.
A história e exame físico também são utilizadas para determinar a possível causa da rigidez, juntamente com exames complementares. Radiografias e ressonância magnética são os exames mais comuns utilizados para complementar o diagnóstico.

Como é o tratamento da rigidez do joelho?

● A causa da rigidez deve ser identificada e tratada
● Quando há bloqueio articular mecânico (por corpos livres ou lesão meniscal, por exemplo), a causa do bloqueio deve ser removida com cirurgia.
● Quando não há bloqueio mecânico, ganho de movimento com fisioterapia, visando alongar, tratar contraturas e ativar e fortalecer musculatura é o tratamento inicial de escolha.
● Quando há artrofibrose após cirurgia ou trauma, o tratamento inicial é com reabilitação. Porém, em casos crônicos ou quando há parada de progressão na fisioterapia, pode haver necessidade de manipulação sob anestesia ou liberação cirúrgica da artrofibrose.

Como evitar a artrofibrose e rigidez após cirurgia do joelho?
Algumas medidas ajudam a evitar a artrofibrose após cirurgia do joelho:

● Controle de dor adequado no pós-operatório.
● Início precoce da movimentação.
● Fisioterapia precoce e adequada.
      ○ Recuperar ativação muscular.
      ○ Exercícios de ganho de amplitude de movimento.
● Evitar imobilização, ou usar pelo menor tempo possível.

Como é o tratamento da artrofibrose do joelho?

Mesmo com estratégias de prevenção adequadas, a artrofibrose pode ocorrer. Seu tratamento é essencial para evitar perda de função e prejuízo da qualidade de vida.
A avaliação criteriosa do paciente deve ser feita, para investigar diagnósticos diferenciais associados como infecção, síndrome da dor complexa regional, erro técnico na cirurgia inicial.

● Tratamento não cirúrgico

Fisioterapia é essencial no tratamento da artrofibrose. Alongamento, tratamento de contraturas musculares, ativação e fortalecimento muscular são utilizados.
O controle adequado da dor é importante para a progressão adequada do ganho de movimento na reabilitação.

● Manipulação sob anestesia

O joelho é manipulado para ganho de movimento com o paciente anestesiado. Assim é possível quebrar as fibroses mais rígidas, sem causar dor no momento da manipulação.
O procedimento é indicado quando não há progressão do ganho de movimento na fisioterapia.
A manipulação é evitada em casos crônicos, uma vez que fibrose muito madura pode precisar de excesso de força para ser quebrada na manipulação. Isso pode aumentar o risco de lesão de tendões, ligamentos, cartilagem ou até de fratura, principalmente em pacientes idosos.

● Liberação cirúrgica da artrofibrose

Em casos crônicos de artrofibrose, para evitar manipulação com força excessiva, ou em casos de fibrose localizada (como a lesão em cíclope), a retirada da fibrose com cirurgia pode ser indicada. A cirurgia de liberação pode ser aberta ou por artroscopia do joelho.

● Quadricepsplastia

Especialmente em casos após fratura do fêmur, pode haver aderência da musculatura anterior da coxa (quadríceps) no osso. Nesse caso, a liberação dessas aderências é importante para o ganho de movimento, com o procedimento chamado de quadricepsplastia.

Como é o pós-operatório de cirurgias para liberação de artrofibrose?

Para o sucesso do tratamento da artrofibrose, é essencial que o movimento seja mantido para evitar a nova formação de fibrose. São estratégias importantes para isso:

● Controle adequado da dor — Além de remédios analgésicos, técnicas de anestesia para controle da dor no pós-operatório imediato são úteis, como o bloqueio de nervo periférico.
● Reabilitação imediata — Fisioterapia para ganho e manutenção de movimento e ativação muscular são essenciais.

Sobre o Dr. Márcio Silveira, especista em joelho, ortopedia do idoso e traumatologia esportiva em Brasília / DF >
Sobre o tratamento fisioterápico >

Deixe um comentário