Dor nas articulações e o sobrepeso

Dor nas articulações e o sobrepeso

Além de doenças como hipertensão e diabetes, o excesso de peso sobrecarrega as articulações, sobretudo as dos membros inferiores. Provoca a degeneração da cartilagem articular, trazendo hoje uma das maiores preocupações na área da ortopedia e reumatologia, uma vez que possui relação direta com a osteoartrose, causando dificuldade de se locomover e dor articular.

Riscos que o sobrepeso provoca

O excesso de peso pode causar diversas doenças nas articulações. A mais comum é a condromalácia ou condropatia. Ela inicia com uma inflamação na cartilagem articular, que vai amolecendo e afinando com o passar do tempo.

A segunda doença mais comum é a artrose. Nela a articulação enfraquece e passa a conter esteófitos, também chamados “bico de papagaio” ou “esporões”. Eles se formam em torno da articulação e, por comprimirem a estrutura óssea, causam muita dor.

A terceira doença mais atingida nos obesos é a lesão meniscal degenerativa e a quarta é a tendinite. Esse quadro de doenças torna-se ainda mais grave para pessoas que já possuem problema de desvios articulares provocados pelo sobrepeso.

Tratamentos

Com a redução do peso corporal, é possível aliviar a carga sobre a estrutura óssea, suavizar as dores e minimizar a incidência de problemas articulares mais sérios. Mesmo pessoas idosas com problemas de peso podem aliviar a dor da artrose no joelho, se perderem apenas de 3-5 Kg do seu peso corporal por meio de dieta e exercício físico.

Aqui está o dilema do obeso: Como emagrecer com dieta e exercício se eu mal consigo andar?

Mudanças na dieta

Emagrecer rápido faz com que as pessoas percam mais peso no final do regime. Entretanto, afinar o corpo em pouco tempo sem a prática de exercícios pode levar à perda de massa muscular em vez de gordura, trazendo riscos à saúde.

Massa gorda x massa magra

Normalmente para o indivíduo conseguir perder peso de maneira rápida, ele lança mão de recursos arriscados como consumo de medicamentos, dietas perigosas e restritivas e jejuns prolongados. Nesse processo há muita perda de líquido, que leva embora sais minerais e outros nutrientes importantes, além da redução de massa magra (músculos). Então uma pessoa muito magra também pode ter problemas articulares pela falta de músculos, um exemplo é o doente que fica acamado por muito tempo.

O saudável é ganhar músculos e perder gordura; e a margem de segurança para isso acontecer é perder de 3 a 4 kg em um mês.

A coluna também sofre

O emagrecimento rápido ainda está relacionado com sérios problemas de coluna e, claro, de postura. A culpa é da flacidez muscular que se instala de forma generalizada no organismo. A perda de massa magra atinge diretamente os músculos esqueléticos, que sustentam a coluna vertebral. Isso pode causar dor. Por isso é tão importante praticar algum exercício de força quando se emagrece para fortalecer a musculatura.

Atividade física controlada

Exercícios fortalecem os músculos, diminuem a sobrecarga nas articulações e favorecem o alívio de dores. Na empreitada para emagrecer, a prática de atividade física é necessária, mas é preciso cautela para evitar exageros, sobrecarga e consequentemente exaustão muscular. Os sedentários precisam de cuidado em dobro – começando bem devagar, mas mantendo a frequência regular de 4 ou 5 vezes por semana. A escolha da modalidade também é importante nessa crucial transformação que é sair da inércia do repouso e ir malhar.

Antes de eliminar qualquer modalidade, fortaleça o entorno das articulações – inclusive do quadril e do tornozelo. Isso porque grande parte dos problemas no joelho é provocada por desequilíbrio muscular.

Outra causa comum: uma biomecânica inadequada, como quando você joga o joelho para dentro durante a corrida. Também nesses casos, musculação e exercícios para ampliar a mobilidade das articulações ajudam a melhorar o movimento.

Saiba sobre o exame biomecânico do movimento >

Um bom começo, que não compromete nada, é caminhar. Andar pelo menos uma hora, todos os dias da semana, mantém o sistema cardiovascular em forma, além de prevenir a obesidade. E nada de começar a correr nos primeiros sinais de emagrecimento. Os músculos podem não estar preparados para a sobrecarga.

Não conseguindo caminhar opte por outros exercícios de baixo impacto, como bicicleta, natação ou pilates, para reduzir a pressão sobre as articulações.

Não fique o tempo todo sentado

Quanto mais as articulações são usadas, maior será sua lubrificação e sua eficiência. Por isso, pessoas que permanecem longos períodos sentadas possuem mais chances de sofrer dores nas articulações do corpo.

Alongue-se com mais frequência

A maioria das pessoas alonga-se um pouco antes ou depois de uma atividade física, mas o alongamento deve ser incorporado em sua rotina diária. Faça pausas durante o dia para manter seu corpo flexível e articulações com movimentos suaves. Você pode fazer alguns alongamentos básicos em sua mesa ou mesmo na fisioterapia ou pilates – que juntam alongamento e exercícios.

Deixe uma resposta