You are currently viewing Lesões do menisco

Lesões do menisco

O que é menisco?

É uma estrura composta por colágeno, localizada na articulação do joelho, entre o fêmur e a tíbia. Cada joelho possui 2 meniscos, um medial (na parte interna) e outro lateral (na parte externa). São semelhantes, porém o menisco lateral tem mais mobilidade que o lateral.

Qual a função do menisco?

O menisco tem 3 funções principais:

absorção do imacto da articulação, funcionando como uma espécie de amortecedor do joelho;
estabilizador, auxiliando os ligamentos a proporcionarem estabilidade para a articulação;
nutrição da cartilagem do fêmur e tíbia, pois aumentam a congruência articular e aumentam a pressão do líquido articular contra a cartilagem, auxiliando a entrada deste líquido na cartilagem.

O que causa a lesão do menisco?

Podemos dividir em 2 tipos de lesão:

lesões traumáticas, ou seja, após entorses ou luxações do joelho. Neste tipo, o menisco era sadio antes da lesão;
lesões degenerativas, comuns em pacientes após os 40 anos de idade, muitas vezes sem mecanismo de lesão evidente, às vezes após agachamentos completos. Neste caso, já havia algum processo degenerativo previamente.

Quais os sintomas da lesão do menisco?

O principal sintoma é dor no joelho, gelamente na parte interna ou externa da articulação, dependendo domenisco em questão. Derrame articular pode ocorrer após o evento que causou a lesão, porém geralmente não muito exuberante. Nos casos de lesões em “alça de balde”, um pedaço do menisco fica deslocado, dando a sensaçãoo de que o joelho está “fora do lugar”, momentaneamente, até que a alça retorne ao local de origem. Quando a alça está deslocada, é comum a queixa de travamento, ou seja, o joelho nem flete nem extende até a alça retornar à sua posição.

Como é feito o diagnóstico?

São usados 3 elementos para o diagnóstico:

A história do paciente, com os dados do momento da lesão e os sintomas

relatados, conforme acima citados.
O exame físico realizado por ortopedista com experiência no tratamento destas lesões, geralmente especialista emcirurgia do joelho. Existem alguns testes que falam a favor do diagnóstico.
Exames de imagem: Radiografias, Tomografias e Ultrassonografia pouco ajudam. O exame que auxilia é a Ressonância Magnética. Apesar de ser um excelente exame, muitas vezes deixa dúvida. Por este motivo, é muito importante um bom exame clínico.

Como é o tratamento?

O tratamento pode ser círugico ou sem cirurgia, com a realização de fisioterapia. Por se tratar de uma estrutura com pouca capacidade de cicatrização, o tratamento na grande maioria das vezes é cirúrgico , com a retirada da região lesionada, delicadamente, para ressecar o mínimo possível e regularizar as bordas, mantendo a função do restante do menisco que está sadio . Em pacientes jovens, com lesão há poucos meses, na região periférica do menisco, é possível o reparo do menisco (sutura com pontos), pois lesões com estas características tem bom potencial de cicatrização.
Neste caso, não há ressecção do menisco, preservando a estrutura.

Como é após a cirurgia do menisco?

No caso da simples ressecção da região lesionada, não há nada para cicatrizar, portanto o retorno às atividades é rápido. Oriento 1 semana de apoio com muletas, já com carga parcial, e já na segunda semana o paciente está autorizado a andar sem muletas. Quando é realizada a sutura do menisco, é necessário um período mais longo de muletas, entre 4 a 6 semanas, período para cicatrização da região suturada.

Sobre o Dr. Márcio Silveira, especista em joelho, ortopedia do idoso e traumatologia esportiva em Brasília / DF >
Sobre a cartilagem >

Deixe um comentário