You are currently viewing Tendinite Do Joelho

Tendinite Do Joelho

A tendinite no joelho ocorre, principalmente, no tendão abaixo da rótula e é caracterizada pela degeneração e inflamação. Essa tendinite, muitas vezes, afeta atletas que fazem saltos repetitivos. Por este motivo, a tendinite patelar também é conhecida como “joelho do saltador”, sendo típica dos esportes como basquete, vôlei, futebol e atletismo.

Tendinose patelar

A tendinose patelar é uma doença crônica. Ao contrário da inflamação aguda, a tendinose tem um início mais gradual, caracterizada por muitas microlesões e um espessamento do tendão. Provoca sintomas semelhantes à tendinite patelar, mas o tratamento é diferente.

As lesões parciais do tendão patelar são visíveis através de uma ressonância magnética. Geralmente, são o resultado de uma tendinose patelar crônica.
Também é possível encontrar uma lesão completa, caracterizada pela ruptura do tendão patelar. Neste caso, todo o tendão é roto e é necessária uma reparação cirúrgica.

Anatomia

O tendão patelar liga a rótula à tíbia.

A união patela-tendão do quadríceps-tendão patelar-músculo quadríceps, forma o sistema de extensão, que permite estender (endireitar) o joelho e, por exemplo, dá a força necessária para um chute em uma bola.

O tendão patelar é composto, principalmente, por fibras colágenas e é vascularizado só no externo, enquanto na parte interna não existe nenhum vaso sanguíneo.

Quais são as causas da tendinite do tendão patelar?

As causas mais frequentes são:

  • Tipo de calçado
  • Execução incorreta do gesto esportivo
  • Defeitos anatômicos (joelho varo, valgo ou dismetria dos membros inferiores)
  • Treinamento muito pesado
  • Superfície de jogo muito dura (por exemplo asfalto)
  • Desequilíbrios musculares

É importante encontrar o sapato certo. Existem muitos tipos para cada planta e cada um é específico para um determinado esporte. Um corredor amador, por exemplo, deve usar um tênis mais pesado do que um profissional.

Em pacientes afetados pela tendinite de joelho, alguns movimentos causam microtraumas com hipóxia (falta de oxigênio), aumento da temperatura etc. É muito mais frequente depois dos 30/40 anos. A idade provoca uma alteração das fibras, que faz com que ocorra, mais facilmente, uma lesão.

Andar de bicicleta pode causar uma tendinite no joelho, mas, geralmente, ocorre no tendão do quadríceps, ou seja, acima da patela. Normalmente, esta doença é causada por uma sela muito baixa.

Estágios da tendinite do joelho

  • Primeira fase – O paciente sente desconforto após a atividade, mas consegue terminar o treino; não existem alterações anatômicas e o tendão está normal, apenas com uma alteração do líquido sinovial, que é uma situação reversível.
  • Segunda fase – A dor aparece no início do treino; o tendão está inchado e estamos em presença de infiltrado celular com inflamação. Esta condição é reversível, removendo o componente inflamatório. Clinicamente, a situação mais desfavorável é a primeira, porque o paciente não se preocupa com a dor, pensando que se deve somente à fadiga.
  • Terceira fase – É permanente e irreversível, porque é estabelecido um processo inflamatório consolidado no tendão e as fibras ficam alteradas. O tendão nunca terá mais a elasticidade que tinha quando era saudável. Também é provável que o problema torne-se crônico. Este tipo de tendinopatia é chamado tendinose. É recidivante e geralmente se torna crônica.

Existe uma terceira fase avançada em que a dor requer o abandono da atividade desportiva, caracterizada por um tendão rígido e pelo risco de lesão.
Os ciclistas, muitas vezes, sofrem de tendinite do tendão do quadríceps, ou seja, aquele superior à patela. Neste caso, geralmente, é suficiente levantar a sela, porque muitas vezes é essa a causa.

Fisioterapia e seus benefícios >

Sinais e sintomas 

A dor é o primeiro sintoma da tendinite patelar. A dor no joelho, de forma geral, localiza-se no tendão patelar, entre a patela e a tíbia.

Inicialmente, a dor no joelho ocorre no início da atividade física ou logo após um treino intenso. Em seguida, pode progredir até não permitir o treinamento. Eventualmente, em um estágio avançado da inflamação, a dor pode criar desconforto nas atividades diárias, como subir escadas ou levantar de uma cadeira. É raro que o tendão fique inchado ou ocorra uma restrição nos movimentos do joelho.

Diagnóstico

O médico consegue diagnosticar a inflamação do tendão com uma consulta cuidadosa, mas ele também pode recomendar uma ultrassonografia (ou ecografia) para confirmar as suspeitas.

A radiografia pode ser feita para descartar uma fratura. Além disso, também pode ser útil para as crianças que sofrem de dor no joelho, na parte da frente, por causa da doença de Osgood Schlatter (Apofisite).

É possível que se forme um depósito de cálcio, particularmente em pacientes com uma tendinose patelar crônica. Uma ressonância magnética pode ser útil para saber se existe uma inflamação ou uma lesão parcial dentro do tendão. No diagnóstico diferencial, o médico deve descartar a bursite no joelho.

Tratamento

O primeiro e mais importante passo no tratamento da inflamação é evitar atividades que agravam o problema. Temos que aprender a gerir o próprio corpo para entender quando uma atividade causa dor e parar imediatamente.

O tratamento deve começar imediatamente após o diagnóstico confirmado pelo seu médico. Se a tendinite no joelho é aguda, o tratamento deve começar com o repouso.

O uso de medicamentos anti-inflamatórios não-esteroides (AINEs), tais como o ibuprofeno, pode reduzir a dor da tendinite e o inchaço. Antes de começar a tomar o medicamento, é necessário conversar com seu médico.

É possível aplicar uma pomada, com efeito anti-inflamatório, diretamente no tendão, mas ela não penetra dentro do tendão, porque este não é vascularizado, não sendo indicada.

Se a inflamação for resistente ao tratamento, é possível prosseguir com a injeção direta de medicamentos à base de cortisona. Uma injeção de cortisona, guiada através de uma ultrassonografia, pode aliviar a dor, mas este tipo de medicação pode enfraquecer o tendão, que pode quebrar no futuro.

Tendinopatia Quadricipital

           A Tendinopatia Quadricipital é caracterizada por uma lesão crônica e degenerativa o tendão do músculo quadríceps próximo a sua inserção no polo superior da patela. Acomentendo 25% das tendinopatias do joelho, ficando atrás apenas da tendinopatia patelar (75%). Normalmente, os pacientes que sofrem dessa lesão apresentam dor de início insidioso na região superior da patela durante e/ou após atividade física. A dor pode ser exacerbada na contração do músculo quadríceps femoral, na palpação do tendão quadricipital acima da patela e ao realizado um agachamento.

         Semelhante a Tendinopatia Patelar, evita-se utilizar o termo Tendinite, pois na área da saúde o sufixo “ite” remete à inflamação e vários estudos demonstram que essas lesões por sobrecarga não apresentam processo inflamatório, e sim alterações degenerativas. A dor nessa região está relacionado a atletas com idade acima de 40 – 50 anos e pessoas ou atletas que realizam repetitivamente levantamento de peso. Isso deve-se a alta pressão sobre a inserção do tendão quadricipital.A ruptura do tendão quadricipital normalmente está associada à súbita dor na região superior da patela durante prática esportiva ou queda. A incapacidade de estender o joelho pode indicar ruptura completa do tendão.

Remédios naturais para a tendinite no joelho

Geralmente, o tendão inflamado não causa o joelho inchado, portanto, a argila não é recomendada, mas um creme com arnica, que é um anti-inflamatório natural, pode ser usado.

É possível usar um cinto de suporte sob a patela, uma órtese no joelho (joelheira) ou uma palmilha ortopédica. A vantagem deste tratamento não é bem conhecida, mas alguns pacientes sentem alívio.

A natação pode ser útil, se quiser ficar em forma, mas é importante não esticar as pernas. Um bom preparador físico pode impedir a tendinite preparando um programa de treino intenso, mas não demasiado.

Melhor o gelo ou o calor?

Na fase aguda, você pode aplicar uma compressa fria, especialmente para aliviar a dor, mas não é um tratamento.

Após as primeiras 24/48 horas, em que a dor era forte, o gelo não é mais necessário, mas é aconselhável aplicar uma fonte de calor para promover a atividade das células.

Fisioterapia

O tratamento com laser e o ultrassom são eficazes na estimulação e aceleração do processo de reparação do tendão. Transferência de Energia Capacitiva e Resistiva (ATECR), pode ajudar na redução da inflamação, mas, por si só, não é suficiente para tratar o tendão.

Exercícios de reabilitação 

O alongamento feito regularmente pode reduzir o espasmo muscular e esticar o músculo. Quando as atividades desportivas são retomadas, o alongamento do quadríceps, isquiotibiais e panturrilha, antes da atividade, é muito importante.

É necessário realizar alongamento mesmo depois que os sintomas desaparecem, para evitar uma recorrência do problema.

Os exercícios excêntricos (onde é feita uma contração do músculo enquanto se alonga) são particularmente úteis no tratamento da tendinite e são frequentemente efetuados para a tendinite patelar do joelho.

De acordo com a Academia Nacional de Medicina do Esporte, estes exercícios estimulam o crescimento muscular e se concentram, principalmente, na contração muscular. Antes de começar a efetuar estes exercícios para a tendinite patelar é melhor consultar o médico.

Agachamento excêntrico

O agachamento excêntrico é usado, com frequência, no tratamento de tendinite patelar. É recomendável efetuar o agachamento em uma superfície dura. Aumente a base de apoio separando os pés (abrindo em ângulo) na largura dos ombros. Lentamente, dobre os joelhos e o quadril como quando se senta.

Continue a agachar para baixo até que as coxas estejam paralelas ao chão. Mantenha esta posição por 10 segundos. Se o exercício causar dor, coloque o peso na perna boa.
Retorne lentamente à posição inicial usando os braços. Executar três séries de 10 repetições. Fazer uma pausa de 60 segundos entre as séries. Durante o agachamento é necessário ter cuidado para que os joelhos não excedam o nível dos dedos dos pés, caso contrário se sobrecarrega o tendão patelar.

Leg Press

O leg press é uma máquina usada na academia e na reabilitação para reforçar o quadríceps em cadeia cinética fechada, ou seja, com a extremidade do pé parado contra a plataforma.

O leg press estabiliza o joelho e fortalece os músculos do membro inferior.
Para tornar esse exercício excêntrico é necessário dobrar os joelhos lentamente, resistindo à força da gravidade.

Sentar na máquina com as costas em linha reta e bem apoiadas contra o encosto.
Colocar os pés na plataforma da largura dos ombros. Mantendo os joelhos ligeiramente flexionados, destravar a máquina lentamente, trazer os joelhos em direção ao peito, segurando a descida da plataforma.

Retornar à posição inicial e repetir o exercício. Fazer três séries de 10 repetições com um intervalo de 1 minuto entre as séries.

Tratamento com Cirurgia

A operação cirúrgica para a tendinite no joelho é extremamente rara. Em algumas ocasiões, depois de experimentar todos os tratamentos descritos acima sem resolver os sintomas, deve-se prosseguir com a cirurgia.

Normalmente, a cirurgia é efetuada apenas em caso de degeneração do tendão, diagnosticada por ressonância magnética. Durante a cirurgia é realizada uma incisão no tendão danificado e uma limpeza.

Tempo para a recuperação 

A tendinite aguda pode passar sem tratamento, mas é necessário o repouso de, pelo menos, um mês ou dois. O tempo de cicatrização para a tendinite crônica é longo. São necessários vários meses de descanso e tratamento.

A fisioterapia permite uma recuperação muito rápida. Na fase aguda, podem ser necessárias só duas semanas de tratamento.

Dor nas articulações e sobrepeso >
Lesões comuns no joelho nas atividades diárias >

Deixe um comentário